Agora é curtir a pagina do blog

sexta-feira, 22 de maio de 2015

DEPUTADOS EM AÇÃO: Wyllys diz que vídeo foi adulterado por Éder Mauro

Wyllys diz que vídeo foi adulterado por Éder Mauro (Foto: Divulgação)
O deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) classificou como fraude um vídeo postado pelo deputado delegado Éder Mauro (PSD-PA). O parlamentar eleito pelo Rio de Janeiro garante que teve a fala manipulada. A declaração foi feita nesta quinta-feira (21), na CPI que investiga o aumento de mortes e desaparecimento de jovens negros no Brasil.
“Isso foi um ato criminoso. Foi uma fraude cometida sobre uma fala que eu fiz numa reunião antiga. Eu exijo que a CPI faça um comunicado público para reprimir esse fato”, disse o deputado do Psol.
Segundo Wyllys, na edição fraudulenta ele aparece falando que "pessoas negras e pobres são mais perigosas que as pessoas brancas". O deputado explicou que ele comentava, na verdade, é que "há um discurso racista, muitas vezes promovido pela mídia, que passa a ideia de que as pessoas negras são mais perigosas do que as pessoas brancas".
Na sessão, Wyllys exigiu que a CPI se posicione sobre o ato, pedindo, inclusive, a saída do paraense do colegiado.
O vídeo foi postado na página do delegado nas redes sociais e já possuía mais de 10 mil compartilhamentos, até a noite de hoje. “Eu não posso estar aqui representando o povo brasileiro, pela parcela do estado do Pará, e ter que ouvir pessoas falar (SIC) que quer a liberação de droga, que quer o que jovem considere que é um comércio e que acha que vai ser uma profissão”. Nas imagens o delegado aparece exaltado e gritando para o deputado do PSol “Tu és um destruidor de famílias”.
Assista:


O presidente da CPI, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), afirmou que a comissão não tem competência para desligar nenhum integrante, pois essa é uma atribuição dos partidos. Ele disse que vai disponibilizar a intervenção completa do deputado Jean Wyllys e afirmou que na próxima terça-feira (26) a CPI vai se pronunciar a respeito do fato.
(Antonio Santos/DOL com informações da Agência Câmara)

Nenhum comentário: